Sábado, 31 de Julho de 2021
3123420968
Esportes DESPROPÓSITO

Baixo índice de imunização dos brasileiros e liberação para público nos estádios de futebol

O encerramento da Copa América, em 10 de julho, deixou a marca de 179 casos positivos de Covid-19 entre os participantes

19/07/2021 12h44 Atualizada há 3 dias
Por: Renato Ilha
Estádios vazios são a marca da pandemia.
Estádios vazios são a marca da pandemia.

 

A 47ª edição da Copa América, disputada no Brasil entre os dias 13 de junho a 10 de julho de 2021, contou com a participação das dez seleções sul-americanas afiliadas à Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol). Originalmente, a competição seria disputada em junho e julho de 2020, porém com o avanço da pandemia de Covid-19 fez com que a disputa fosse remarcada para ocorrer em 2021.

No dia 20 de maio de 2021, a Colômbia, que seria uma das sedes da Copa, junto com a Argentina, desistiu da vaga devido a protestos contra o presidente colombiano Iván Duque Márquez. A seguir, em 30 de maio, foi a vez da Argentina recuar e também renunciar ao evento por conta do regime geral de quarentena no país.

A combinação entre a desorganização da Conmebol e a vontade do presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, levou ao anúncio da competição às pressas no Brasil, na primeira vez em que duas edições consecutivas são realizadas em um mesmo país.

NOVA CEPA DO CORONAVÍRUS

Os motivos apresentados pelos argentinos para desistir de sediar a Copa América 2021 não importaram para o governo brasileiro. O resultado, no entanto, trouxe ao país pelo menos uma nova cepa do coronavírus: o Instituto Adolfo Lutz identificou dois casos da variante B.1.621 entre 12 exames realizados.

Os casos foram identificados em Mato Grosso. Entre os 12 sequenciamentos genéticos de amostras para identificação das cepas, 10 identificaram a variante gama, encontrada pela primeira vez no estado do Amazonas.

O encerramento da Copa América, em 10 de julho, deixou a marca de 179 casos positivos de Covid-19 entre os participantes. Confirmada no Brasil a 13 dias de sua estreia, a Copa América foi trazida ao Brasil em um momento em que o país registrava média móvel de mortes pela Covid-19 de quase 1.900 pessoas/dia e contabilizara 209 mil óbitos só nos três meses anteriores. Com a rejeição, quatro patrocinadores optaram por não expor suas marcas.

PÚBLICO SEM DISTANCIAMENTO

Ao jornal O Globo, o epidemiologista Pedro Hallal, da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), afirmou que num período tão curto, de 29 dias, a taxa de infecção é altíssima. “Se a gente fizesse um acompanhamento da população em geral neste mesmo período seria muito mais baixo”, declarou.

A final da Copa América, porém, marca a volta do público aos estádios de futebol. Foram 5,5 mil torcedores no Maracanã que acompanharam a vitória da Argentina sobre o Brasil por 1×0. Com base no protocolo da Conmebol, os clubes do futebol brasileiro começam a arquitetar uma volta do público na competição nacional.

O protocolo da Conmebol prevê a presença de pessoas totalmente vacinadas ou com RT-PCR negativo, nas últimas 48 horas, além da limitação de assentos com no máximo 50% do estádio e o uso obrigatório de máscaras e a proibição de venda de bebidas e alimentos.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) projetava a liberação do público a partir do segundo turno, a partir do raciocínio de igualdade de condições entre 20 clubes. Um estádio para 40 mil pessoas poderia receber no máximo 20 mil pessoas, enquanto um estádio para 60 mil pessoas poderia receber 30 mil pessoas. Existe um acordo entre CBF e clubes de que os presidentes negociem diretamente com os governos estaduais e prefeituras pela liberação.

VIDAS NÃO IMPORTAM?

Com mais 948 mortes por Covid-19 registradas no dia 18 de julho de 2021 o Brasil totaliza 542.214 vítimas da doença, desde o início da pandemia, em março de 2020, conforme informou o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

 

Até 18/07, o Brasil já aplicou 122,7 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19. A população totalmente imunizada contra Covid no país, aqueles que tomaram a segunda dose ou a dose única de vacinas contra o novo coronavírus, chegou a 15,98%. O balanço da vacinação aponta ainda que 88.942.995 pessoas já receberam a primeira dose de vacina contra a Covid-19. O número representa 42% da população brasileira, conforme dados do consórcio de veículos de imprensa, divulgados às 20h de 18/07.

Como o governo brasileiro pode admitir a presença de público nos estádios de futebol quando sequer 20% da população recebeu duas doses?

Como imaginar um ambiente seguro entre pessoas que vibram aglomerados, assim como temos notícias de festas clandestinas, aglomerações permanentes e desprezo às normas de distanciamento?

Renato Ilha, jornalista (Fenaj 10.300)

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Belo Horizonte - MG
Atualizado às 16h21 - Fonte: Climatempo
20°
Alguma nebulosidade

Mín. Máx. 21°

20° Sensação
19 km/h Vento
40% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (01/08)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. Máx. 22°

Sol com algumas nuvens
Segunda (02/08)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 10° Máx. 23°

Sol com algumas nuvens
Ele1 - Criar site de notícias