Segunda, 29 de Novembro de 2021
3123420968
Dólar comercial R$ 5,6 0%
Euro R$ 6,35 0%
Peso Argentino R$ 0,06 -0.002%
Bitcoin R$ 339.845,55 +5.267%
Bovespa 102.281,82 pontos -3.34%
Economia NEGÓCIOS

Setor Pet resiste à pandemia, cresce 13,5% e fatura mais de R$ 40 bilhões em 2020

Com o isolamento social, pessoas passaram a dar maior atenção a animais de estimação. Considerada atividade essencial, o setor de saúde Pet também ajudou a impulsionar crescimento

15/07/2021 14h38 Atualizada há 4 meses
Por: Renato Ilha Fonte: Laboratório Veterinário Vetex
Mesmo na pandeia, o mercado Pet continuou aquecido
Mesmo na pandeia, o mercado Pet continuou aquecido

A turbulência gerada pela pandemia do Coronavírus, que atingiu seriamente vários setores da economia, parece não ter afetado o mercado Pet. Pelo contrário, o setor registrou um crescimento de 13,5% em 2020 em relação a 2019, com faturamento acima dos R$ 40 bilhões, segundo pesquisa do Instituto Pet Brasil. A alta foi puxada pelo comércio de alimentos para animais e de produtos veterinários.

Com quase 142 milhões de animais de estimação, a participação do Brasil no consumo de produtos pet vem crescendo e o país é hoje o terceiro no ranking de faturamento, à frente do Reino Unido e atrás apenas dos Estados Unidos e China. A consultoria Euromonitor projeta que, até 2025, o mercado brasileiro deve se expandir 42,7%.

O setor de saúde, que corresponde a cerca de 8% do mercado Pet no país, também foi favorecido ao ser classificado como “atividade essencial”, o que permitiu que clínicas veterinárias, hospitais e laboratórios continuassem abertos em meio às restrições de circulação que ocorrem desde o início da pandemia, em março de 2020.

“Esse distanciamento social fez com que as famílias passassem a dar mais atenção a seus animais de estimação, o que ajudou no crescimento do setor como um todo”, avalia a médica veterinária Helena Gallichio Domingues.

Um exemplo que ilustra bem o crescimento desse segmento é o do Laboratório Veterinário Vetex. Criado em 2008 na cidade Camboriú (SC), o Vetex vem se expandindo e hoje já está presente em quatro estados brasileiros, totalizando 6 unidades nas cidades de Camboriú (SC), Florianópolis (SC), Blumenau (SC), Curitiba (PR), São Paulo (SP) e Porto Alegre (RS), sendo as duas últimas inauguradas nesse ano, em plena pandemia. A expansão gerou um aumento de 350% no faturamento nos últimos 5 anos e 34,77% de crescimento anual agregado (CAGR), segundo o médico veterinário e sócio proprietário do Vetex, Douglas Sommer.

“Mesmo no cenário de Pandemia, o mercado Pet continuou aquecido, o que propiciou atingirmos nossa meta de chegar a dois novos estados, São Paulo e Rio Grande do Sul. No médio/longo prazo, nosso objetivo é ter laboratórios Vetex em todo o Brasil”, prevê Sommer.

RESULTADOS RÁDIDOS: UM DIFERENCIAL

Um dos diferenciais que explicam a expansão do Vetex é o grande número de exames (só em 2020 foram mais de 600 mil exames realizados) e a liberação rápida dos resultados. Com o laudo em mãos, o tutor pode iniciar o tratamento indicado pelo veterinário de forma mais rápida, o que influencia decisivamente no sucesso do tratamento. Um exemplo disso é o PCR Real Time, exame de alta complexidade que detecta de forma precisa uma série de doenças graves que acometem animais de estimação, como cinomose, parvovirose, leptospirose e leishmaniose.

Os resultados levam em média de dois a três dias para sair. Em alguns casos, até uma semana ou mais. No Vetex, o laudo sai em 24 horas e, às vezes, em até menos tempo. “O fato de o resultado sair mais rápido é importantíssimo, pois quanto antes tivermos o diagnóstico, mais cedo começa o tratamento direcionado e as chances de cura aumentam consideravelmente”, afirma Sommer.

Nas unidades de Curitiba, Porto Alegre e Camboriú, o Vetex disponibiliza ainda um banco de sangue Pet.  A transfusão sanguínea de um animal para outro é necessária em situações de acidentes, intoxicações, e no tratamento de doenças que causam anemia, câncer, etc. O processo de doação é rápido, seguro e leva cerca de 15 minutos. Em média, os cães doam 450 ml de sangue. Já nos gatos, a quantidade varia de 40 ml a 60 ml. Para poder doar sangue, os cães devem pesar mais do que 25 quilos. Já os gatos devem ter peso superior a quatro quilos e meio.

Os animais precisam ter entre um e oito anos de idade, além de estarem com a saúde em dia. Para garantir uma doação segura, os candidatos passam por uma avaliação clínica e laboratorial prévia. “70% das decisões clínicas tomadas por médicos veterinários são baseadas em exames laboratoriais. Por isso, a realização de exames em locais que tenham rigoroso controle de qualidade, credibilidade e tradição, fazem toda a diferença”, finaliza o sócio proprietário do Vetex. 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Belo Horizonte - MG
Atualizado às 08h38 - Fonte: Climatempo
23°
Muitas nuvens

Mín. 17° Máx. 30°

23° Sensação
7 km/h Vento
89% Umidade do ar
80% (20mm) Chance de chuva
Amanhã (30/11)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 20° Máx. 28°

Sol, pancadas de chuva e trovoadas.
Quarta (01/12)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 19° Máx. 26°

Sol com muitas nuvens e chuva
Ele1 - Criar site de notícias